Categorias
Logística Serviços logísticos

Logística: Governo resolve mudar as regras para a concessão de estradas

Na terça, dia 5 de fevereiro de 2013, o ministro da economia, Guido Mantega, anunciou mudanças nas regras de concessão de estradas. “Todas as medidas foram tomadas pensando na necessidade de melhorias e investimento na logística brasileira”, disse o ministro, em São Paulo, durante o Fórum Estrutura Energia no Brasil. A ideia é aumentar a rentabilidade das concessões, mantendo o interesse sobre elas, para, com isso, gerar crescimento natural. Ainda não sabemos se essa tentativa de alavancar o setor de infraestrutura rodoviária do país dará certo, mas já se fala em ampliação e oferecimento de vantagens semelhantes para o investidor também na área ferroviária.

Entre as principais mudanças estão:

  • Prazo de financiamento total ampliado para até 25 anos.
  • Prazo de concessão ampliado para 30 anos.
  • Prazo de carência para início de pagamentos agora de 5 anos.
  • Taxa de juros TJLP + até 1,5%, dependendo do rating do tomador.
  • Projeção de expansão de tráfego nas rodovias reduzida para 4% ao ano.
  • Possibilidade de financiar até 80% dos projetos com agentes financeiros e até 20% por meio de fundos.
  • Junto com o BNDES, o Banco do Brasil e a Caixa Econômica Federal também poderão fazer empréstimos, individuais ou por consórcio.
  • Todas as vantagens anunciadas também serão oferecidas para empresários internacionais.

Apostas
Ainda é cedo para fazer apostas. Os possíveis resultados só vão aparecer quando os empresários assimilarem as mudanças e entenderem que as novas regras são mesmo um bom negócio. Não sabemos se a novidade do governo incentivará melhorias na área de logística até que licitações e obras aconteçam. Por enquanto, o que se tem é que o leilão de concessão de trechos das estradas BR-040 e BR-116, marcado para janeiro, foi adiado a pedido de pessoas interessadas e três empresas desistiram de participar do mesmo leilão por acharem que as projeções econômicas futuras estavam altas demais.

Há mais detalhes sobre a publicação na matéria do G1.

Categorias
Logística

Profissionais de logística precisam pensar em estratégias, táticas e operações

Quase sem percebermos as nuances da logística seguem evoluindo dia a dia. Antes designada para suprir setores carentes da indústria, hoje é tida como parte fundamental das estratégias de crescimento e customização de atividades dentro das fábricas, comércio e departamentos. Não há como pensar em operações sem mencionar a logística ou os seus desdobramentos como a logística interna (ou intralogística) e todos os profissionais envolvidos no trabalho da área.

Neste cenário, leva-se muito em conta a qualificação dos profissionais. Será que o Brasil prepara a sua mão de obra a contento? É bom saber que em ramos como o da logística são utilizados conceitos aprendidos em todas as fases de ensino, desde o fundamental até o médio. Isso mesmo, disciplinas que por algum motivo o estudante acha que nunca vai aplicar na vida profissional são constantemente exigidas. E é fácil explicar. É durante o primeiro aprendizado que ocorrem os estímulos na criança como a percepção, velocidade de raciocínio e coordenação motora e absorção da cultura, história, matemática e língua.

A resposta sobre a preparação da mão de obra brasileira se encontra nesses fundamentos citados. Se a educação estiver deficitária, o país terá problemas para acompanhar a rotina de novos conhecimentos e conceitos que se aplicam a cada dia. Incluindo a intensa transformação tecnológica. Um bom profissional da logística, atuante em qualquer área, tem por obrigação superar qualquer deficiência, caso sinta falta de bases sólidas em sua formação. Tal prática faz parte da evolução profissional tanto quanto o aprendizado prático e experiências adquiridas ao longo dos anos. Leva-se em consideração, também, pensar no futuro.

Por outro lado, as famílias precisam dar a devida atenção à educação de seus filhos. É bem provável que, aos dez anos de idade, uma criança não tenha maturidade o suficiente para projetar dificuldades futuras, cabe aos pais orientarem o seu desenvolvimento, somando a ele uma boa sustentação emocional. Aí estaremos preparando o futuro, com profissionais inteligentes e preparados para enfrentar as crises, não só da logística, mas dos inúmeros outros setores da economia.