Em 2014, com os impactos dos grandes eventos que acontecem no Brasil, como a Copa do Mundo de Futebol, a logística estará na mira do Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Pelo menos foi o que disse à Agência Estado o presidente do banco, Luciano Coutinho. De acordo com o planejamento estratégico para o próximo triênio (entre 2014 e 2016), os investimentos em logística devem chegar aos R$114 bilhões, contando com os recentes leilões das rodovias e aeroportos do país.

Já havíamos citado no blog da BPLog que o segundo semestre do ano de 2013 terminaria com pelo menos R$9 bilhões em investimentos, por conta do Programa de Investimento e Logística (PIL), anunciado em agosto de 2012 pelo governo, no qual se incluíram os leilões para rodovias, empréstimos para logística, empréstimos-ponte para os aeroportos concedidos de Guarulhos, Campinas e Brasília, concedidos à iniciativa privada. Acontece que muita coisa ficou por fazer, principalmente porque os atrasos em obras para a Copa tomaram muito espaço na agenda, tirando o desenvolvimento do país do foco principal para resolver problemas pontuais da realização das partidas de futebol e obras no entorno do estádios.

Mesmo assim, de acordo com Luciano Coutinho, as concessões do segundo semestre de 2013 renderam para a logística mais R$ 30 bilhões em contratos e investimento para 2014, que devem se consumar agora. Até 2016, outra área importante a receber recursos por conta dos leilões do governo deve ser a de energia elétrica, com R$134 bilhões. “Nós esperamos também que os investimentos em transportes públicos se acelerem na segunda metade do ano que vem”, estimou o presidente do BNDES.

Coutinho deixou claro que esses valores mostram “o que o BNDES está enxergando a partir de volume de consultas recebido”. Portanto, são projeções que merecem atenção, pois a concretização das mesmas depende de inúmeros fatores.

Leia mais na matéria de Alana Granda, repórter da Agência Brasil.