Cadeia de suprimentos: o que é e como funciona 

A cadeia de suprimentos, popularmente conhecida em seu termo original do inglês, supply chain, é parte importante de uma empresa que atua na produção de bens de consumo. Dúvidas sobre o que é a cadeia de suprimentos? Continue a leitura deste texto para entender mais.

A cadeia de suprimentos combina funções e diversas estratégias. Podemos definir cadeia de suprimentos como uma rede que interliga indivíduos, organizações, recursos, atividades e tecnologias envolvidos no desenvolvimento e na venda de um produto, desde a disponibilidade de matéria-prima para a produção, passando pelas demais etapas e chegando à entrega final. 

Esta rede de processos integrados é essencial para o crescimento da empresa e para o sucesso das vendas. Isso se dá pelas grandes mudanças que ressignificaram o processo de compra, uma das principais mudanças é que os consumidores passaram a prezar por qualidade durante toda a jornada. Não é surpresa, empresas que apostam no aprimoramento da cadeia de suprimentos conquistam um maior público e ganham espaço no mercado. 

Gerenciar com eficiência a cadeia de suprimentos passa por duas principais etapas, que são planejamento e controle. Os processos devem estar atentos a mudanças inesperadas e imprevistos. O amplo caminho da cadeia de suprimentos passa pela negociação com fornecedores, transporte, controle de qualidade, gestão de armazenamento e controle de distribuição. 

Podemos enfatizar algumas partes da cadeia de suprimentos que são parte das operações logísticas:

1. Produção

O foco desta etapa é direcionado à demanda do mercado e à necessidade do cliente. É necessário determinar quais produtos serão produzidos, quantidades, qual parte da produção será feita internamente e se alguma das etapas será terceirizada. Os pontos principais para o sucesso da produção são a qualidade dos itens e a capacidade de produção.

2. Fornecedor

Esta etapa define o local de produção e como os bens serão produzidos. Para escolha de fornecedores, devem ser levados em consideração dois grandes fatores, a eficiência e a economia. Após a escolha, é preciso acompanhar prazos de entrega, quantidade e qualidade dos materiais utilizados na construção dos produtos.

3. Estoque

A palavra-chave desta etapa da cadeia de suprimentos é: equilíbrio. Existem as duas vertentes de erro no gerenciamento de estoque, a primeira é trabalhar com um grande estoque, este gera um alto custo e riscos de perda, a segunda é não trabalhar com estoque, o que abre a possibilidade de comprometimento perante ao mercado e aos clientes. 

4. Localização

Decidir a localização para a construção da fábrica influencia em outras etapas, como expedição e distribuição. É essencial analisar os diferentes incentivos fiscais que devem ser atendidos, esses incentivos costumam variar de estado para estado. Entenda onde a sua concorrência está localizada e se o local escolhido atende às prioridades definidas previamente. 

5. Transporte

A escolha do transporte pode impactar diretamente no preço final de venda. Os prazos de entrega também são fatores que alteram o custo de um produto e a preferência final do cliente. 

6. Informação

A empresa deve utilizar os dados e as informações adquiridas nas etapas anteriores para melhorar o seu processo de gerenciamento da cadeia de suprimentos. Número de produção, tempo de cada etapa, avaliações de clientes e valores gastos devem ser interpretados e comparados periodicamente. 

7. Manutenção

Planeje sua cadeia de suprimentos levando em consideração que os maquinários precisam de tempo para manutenção e se atente aos fatores externos, como mudanças climáticas, temperatura e luminosidade.

Bastante coisa pra dar conta, não é mesmo? Conte com a BPLog para te auxiliar nas etapas da cadeia de suprimentos. A terceirização in-house te permite ter mais tempo disponível para o que realmente importa, desenvolver seu produto, conhecer seu mercado e ter foco no core business.