Categorias
Logística

Qual é a importância dos indicadores de desempenho logístico? Entenda.

Você está querendo melhorar a performance logística da sua empresa? Então o primeiro passo é compreender o que são os indicadores de desempenho logístico e quais são suas importâncias.

 Os indicadores de desempenho logístico são os padrões que têm o objetivo de medir e avaliar processos empresariais, ajudando a apontar pontos fortes e fracos, apresentando o que pode ser melhorado dentro do negócio. A partir dos indicadores de logística é que se pode reconhecer o início dos problemas e agir diretamente lá, antes que eles tragam prejuízos à empresa. 

Para isso, cada empresa deve levar em consideração suas metas e sua atual situação e posição, dessa forma os indicadores sempre seguem lógicas específicas, seguindo as estratégias de cada empresa.

Sendo assim, é necessário ter equilíbrio na gestão dos indicadores, com tomadas de decisões que possam aumentar a produtividade da empresa, sem afetar o padrão da organização. 

 

POR QUE É IMPORTANTE UTILIZAR OS INDICADORES DE DESEMPENHO LOGÍSTICO?

Na logística, os indicadores são informações que permitem saber quais setores da empresa merecem maior atenção, renovação e investimento. Ter noção dos fatores que manipulam e influenciam nos resultados da corporação é fundamental para o bom funcionamento de cada um dos seus setores. 

Os indicadores de desempenho logísticos são úteis para:

  • Mostrar os motivos do caimento da qualidade;
  • Apontar falhas;
  • Tomar decisões mais precisas;
  • Aumentar a produtividade;
  • Proporcionar uma segurança superior dos dados;
  • Oferecer um nível de satisfação elevado do consumidor;
  • Conquistar mais clientes.

 

COMO DEFINIR OS INDICADORES DE DESEMPENHO LOGÍSTICO?

Para definir os indicadores de desempenho logístico, é necessário saber que não existe um modelo pronto e preciso dos indicadores. Como dito anteriormente, os indicadores devem ser feitos de acordo com as metas e posição da empresa.

Para estabelecer indicadores ideais, precisa ser levado em consideração questões como:

  • A equipe de trabalho;
  • Sistemas;
  • Estoque;
  • Quantidade e tipo de máquinas.
  • Transporte;

A partir dessas questões, você consegue definir quais as metas da empresa e, então, criar um critério para o que considera como excelente desempenho. 

Afinal, ter indicadores de desempenho logístico é essencial para aquelas empresas que desejam ter controle completo e ter ótimos resultados de qualidade.

E aí? Gostou do post? O que acha de agendar um treinamento de Indicadores de Desempenho em Logística da BPLog para sua empresa? 

Leve a melhor solução para a sua empresa, conte com a BPLog!

Categorias
Logística

Armazenamento de cosméticos: Como funciona?

Armazenamento de cosméticos: Como funciona?

Com a indústria dos cosméticos crescendo cada vez mais no Brasil, os diversos setores logísticos para cuidar dessa área crescem também. Dessa forma, toda a área de logística, armazenamento e distribuição são inseparáveis do crescimento e sucesso da indústria de cosméticos.

Sendo assim, a armazenagem de cosméticos tem uma parte tão grande nesse setor, que apresenta cuidados especiais e peculiaridades para garantir qualidade e segurança para esses produtos.

TENHA CUIDADO COM O PROCESSO DE ARMAZENAMENTO DE COSMÉTICOS

Armazenar cosméticos da maneira correta é o necessário para a garantia de que esses produtos chegarão ao fim do prazo de validade com a qualidade inicial de seus componentes. 

Cosméticos são muitos delicados e por isso sua armazenagem e transporte devem ser tratados de forma delicada e cuidadosa também.

Além disso, precisa-se conter toda uma documentação adequada para poder fazer esse armazenamento, incluindo: 

  • Licença de funcionamento fornecida pelo órgão sanitário local;
  • Autorização emitida pela Anvisa;
  • Comprovação de responsabilidade técnica.

COMO DEVE SER FEITA A ARMAZENAMENTO DE COSMÉTICOS? 

É preciso armazenar esses itens em ambientes arejados e em sombra, com variação de temperatura de até 30º graus. O lacre feito corretamente desses produtos impede que umidades e outros organismos causem danos aos cosméticos e proliferam bactérias e fungos. 

O sol também danifica esses produtos, pois a radiação solar e os raios UV podem agir com alguns componentes, podendo causar reações diversas, danificando a sua composição e qualidade. Esses cosméticos, quando mantidos em caixas de acrílico ou de papel, podem aumentar a meia vida desses produtos, pois a proteção é maior.

Já os produtos manipulados, tem conservantes que só podem ser mantidos de 2 a 8 graus Celsius e demandam muito mais cuidado.

Diferente de outros produtos armazenados, os cosméticos precisam ter uma agilidade maior de distribuição para os pontos de venda, pois a demanda deles costuma ser muito alta e rápida.

Consegue perceber quantos pontos existem para um armazenamento adequado? Por isso é necessário escolher uma empresa confiável e especializada. A BPlog tem licença da ANVISA para a armazenagem de produtos cosméticos.

Você sabia que o armazenamento adequado de um cosmético é importante para sua qualidade? Confira nossos serviços de armazenagem.

Categorias
Logística

Cadeia de suprimentos: o que é e como funciona

Cadeia de suprimentos: o que é e como funciona 

A cadeia de suprimentos, popularmente conhecida em seu termo original do inglês, supply chain, é parte importante de uma empresa que atua na produção de bens de consumo. Dúvidas sobre o que é a cadeia de suprimentos? Continue a leitura deste texto para entender mais.

A cadeia de suprimentos combina funções e diversas estratégias. Podemos definir cadeia de suprimentos como uma rede que interliga indivíduos, organizações, recursos, atividades e tecnologias envolvidos no desenvolvimento e na venda de um produto, desde a disponibilidade de matéria-prima para a produção, passando pelas demais etapas e chegando à entrega final. 

Esta rede de processos integrados é essencial para o crescimento da empresa e para o sucesso das vendas. Isso se dá pelas grandes mudanças que ressignificaram o processo de compra, uma das principais mudanças é que os consumidores passaram a prezar por qualidade durante toda a jornada. Não é surpresa, empresas que apostam no aprimoramento da cadeia de suprimentos conquistam um maior público e ganham espaço no mercado. 

Gerenciar com eficiência a cadeia de suprimentos passa por duas principais etapas, que são planejamento e controle. Os processos devem estar atentos a mudanças inesperadas e imprevistos. O amplo caminho da cadeia de suprimentos passa pela negociação com fornecedores, transporte, controle de qualidade, gestão de armazenamento e controle de distribuição. 

Podemos enfatizar algumas partes da cadeia de suprimentos que são parte das operações logísticas:

1. Produção

O foco desta etapa é direcionado à demanda do mercado e à necessidade do cliente. É necessário determinar quais produtos serão produzidos, quantidades, qual parte da produção será feita internamente e se alguma das etapas será terceirizada. Os pontos principais para o sucesso da produção são a qualidade dos itens e a capacidade de produção.

2. Fornecedor

Esta etapa define o local de produção e como os bens serão produzidos. Para escolha de fornecedores, devem ser levados em consideração dois grandes fatores, a eficiência e a economia. Após a escolha, é preciso acompanhar prazos de entrega, quantidade e qualidade dos materiais utilizados na construção dos produtos.

3. Estoque

A palavra-chave desta etapa da cadeia de suprimentos é: equilíbrio. Existem as duas vertentes de erro no gerenciamento de estoque, a primeira é trabalhar com um grande estoque, este gera um alto custo e riscos de perda, a segunda é não trabalhar com estoque, o que abre a possibilidade de comprometimento perante ao mercado e aos clientes. 

4. Localização

Decidir a localização para a construção da fábrica influencia em outras etapas, como expedição e distribuição. É essencial analisar os diferentes incentivos fiscais que devem ser atendidos, esses incentivos costumam variar de estado para estado. Entenda onde a sua concorrência está localizada e se o local escolhido atende às prioridades definidas previamente. 

5. Transporte

A escolha do transporte pode impactar diretamente no preço final de venda. Os prazos de entrega também são fatores que alteram o custo de um produto e a preferência final do cliente. 

6. Informação

A empresa deve utilizar os dados e as informações adquiridas nas etapas anteriores para melhorar o seu processo de gerenciamento da cadeia de suprimentos. Número de produção, tempo de cada etapa, avaliações de clientes e valores gastos devem ser interpretados e comparados periodicamente. 

7. Manutenção

Planeje sua cadeia de suprimentos levando em consideração que os maquinários precisam de tempo para manutenção e se atente aos fatores externos, como mudanças climáticas, temperatura e luminosidade.

Bastante coisa pra dar conta, não é mesmo? Conte com a BPLog para te auxiliar nas etapas da cadeia de suprimentos. A terceirização in-house te permite ter mais tempo disponível para o que realmente importa, desenvolver seu produto, conhecer seu mercado e ter foco no core business.

Categorias
Logística

Cadeia de distribuição: As principais falhas no processo de expedição

Cadeia de distribuição: As principais falhas no processo de expedição

A expedição de produtos é uma das etapas que mais impacta o consumidor final. A cadeia de distribuição tem vários desafios operacionais, um dos maiores é a etapa de expedição. 

Por se tratar de um processo altamente estratégico, a expedição afeta diretamente a satisfação do consumidor final e, consequentemente, os lucros da empresa. As falhas fazem com que a empresa perca tempo e desperdice recursos financeiros com a necessidade de refazer.

A BPLog selecionou as principais falhas que ocorrem na cadeia de distribuição, especificamente na etapa de expedição: 

1- Falta de preparação na linha de frente

Todo o funcionamento da cadeia de distribuição depende do trabalho das pessoas. Para que não aconteçam erros, é essencial que seus colaboradores tenham domínio das atividades que realizam e conhecimento suficiente para desempenhar a função que ocupam. Os erros descredibilizam a empresa e fazem com que clientes potenciais se afastem. Isso ocorre devido ao fácil acesso à internet e a pesquisa que cada consumidor pode fazer buscando referências e comentários sobre o produto que você oferece. 

Para minimizar os erros na linha de frente, é importante que o gestor contribua para o trabalho, oferecendo treinamentos e capacitação para sua equipe de expedição. O ensinamento dos procedimentos e de boas práticas faz com que a equipe tenha consciência da importância de cada passo.

2- Não utilizar uma picking list

A picking list é um relatório que deve conter todos os itens que serão expedidos. O processo deve ser conciso e as principais informações devem ser destacadas para que haja facilidade na leitura.

Essa etapa é crucial no processo de expedição como um todo, já que é responsável pela separação de produtos. Os erros mais comuns em relação à picking list são:

  • Falta de observação para necessidades especiais de armazenamento e embalagem, o que pode causar avarias na mercadoria durante a etapa do transporte.
  • Separação errada de produtos ou em quantidade incorreta.
  • Falta de atenção com os dados sobre data e de vencimento de uma mercadoria.

Para diminuir o risco de falhas hora da separação dos produtos, a picking list é indispensável. Na lista de separação de itens, algumas informações são importantes, como: 

  • Quantidades necessárias;
  • Peso e descrição dos itens;
  • Observações e necessidades especiais para armazenamento e embalagem.
  • Código do pedido;
  • Nome de cada produto que deve ser separado;
  • Localização dos itens.

A falta de atenção aos dados e cada erro pode acarretar o comprometimento total da expedição. 

São muitas especificidades a serem atendidas para que a expedição tenha sucesso. Com um time de colaboradores preparados e o uso de ferramentas tecnológicas, como softwares, é possível obter êxito nesta etapa e em toda a cadeia de distribuição. 

Com a terceirização in-house você tem garantia para cada um dos processos envolvidos na expedição. A mão-de-obra especializada da BPLog garante que todos os passos sejam executados de forma correta para atingir o seu principal objetivo, a satisfação do cliente e a obtenção dos lucros. Muito mais tempo para que a empresa possa direcionar seu foco ao desenvolvimentos de soluções e ao conhecimento do mercado. 

Saiba mais sobre este serviço entrando em contato conosco. Estamos à disposição!

Categorias
Logística

Os principais métodos de controle de estoque 

Os principais métodos de controle de estoque desempenham a função de manter a quantidade de produtos disponíveis adequadas às demandas dos clientes, essa quantidade é sem excessos e sem faltas, para que não haja nenhum prejuízo com estoque sem giro ou ausência de mercadoria para distribuição e venda.

O foco dos métodos de controle de estoque é atingir objetivos estratégicos para um negócio, tais como:

  • Aumento de vendas: a disponibilidade do produto implica no fechamento ou não de uma venda.
  • Reduzir custos de armazenamento: com a quantidade certa, menos espaço é ocupado, isso em grande escala implica no tamanho do armazém.
  • Eliminar o desperdício: produtos possuem validade e consequentemente podem perder seu tempo de vida útil antes de serem comercializados.
  • Manter a saúde financeira da empresa: uma boa gestão de estoque garante capital de giro e lucro.

A seguir, os principais métodos de controle de estoque:

  1. Curva ABC

Esse método tem destaque na gestão de estoques. A Curva ABC considera como fatores como giro, lucratividade e faturamento para classificar os produtos em três categorias: 

Tipo A: 20% dos produtos e 80% do valor do estoque;

Tipo B: 30% dos produtos e 15% do valor do estoque;

Tipo C: 50% dos produtos e 5% do valor do estoque.

Um dos grandes benefícios da Curva ABC é o aumento no conhecimento sobre giro de estoque e relevância dos produtos, isso possibilita otimizar as operações.

  1. Just in time

Traduz-se livremente como “no tempo certo”. O just in time é responsável por buscar a precisão da cadeia de produção, encaixando as operações e as execuções de acordo com o nível de demanda.

Esse método é indicado para manutenção de um estoque mínimo, sendo recomendado para empresas que querem reduzir custos com armazenagem. Este é seu maior benefício, menor nível de estoque parado e nenhum desperdício de matéria-prima.

  1. Média Ponderada Móvel ou Custo Médio

Nesse modelo, deve-se somar o valor dos produtos já em estoque e os novos produtos dividindo pelo total de mercadorias. O resultado consiste no custo médio por produto e deve ser o valor usado para calcular as tributações da empresa.

  1. PEPS

A sigla significa Primeiro que Entra e Primeiro que Sai. O método é um dos mais utilizados e se baseia na saída de produtos conforme a ordem cronológica.

Essa opção ajuda na redução de desperdícios principalmente em segmentos que lidam com produtos perecíveis.

  1. UEPS

A sigla UEPS significa Último a Entrar, Primeiro a Sair. Seguindo esta linha, este método funciona de forma contrária ao PEPS.

A gestão prioriza a saída dos itens que entraram por último no estoque, pois eles são mais caros do que os que já estão no armazém. Esse método não abrange empresas que trabalham com perecíveis.

Todas as empresas precisam utilizar métodos de controle de estoque. Com tecnologia e eficiência, é possível escolher o mais adequado para a sua linha de produção e otimizar os processos.

A BPLog oferece treinamento na área de controle de estoques. Saiba mais acessando a aba “serviços” e conheça nossas soluções! 

Categorias
Consultoria Logística

Falhas no processo de armazenagem: como a terceirização resolve?

Com as mudanças nas operações, a logística moderna vem se tornando mais complexa a cada dia. O mercado permite que as exigências continuem crescendo a cada dia, como a variedade de produtos, disponibilidade e entregas rápidas com pouco tempo de atendimento. Com essa aceleração nos processos, diminui a tolerância para erros na separação dos pedidos e pressões para a redução dos níveis de estoque.

A modernização nos processos, a expansão de mercado e das demandas faz com que as empresas entrem em um contínuo processo de aprimoramento da gestão de seus recursos, tanto tecnológicos como gerenciais. Com o crescimento do e-commerce e das entregas full time, a tendência é que os esforços para adequação por parte das empresas continue. 

A atividade de armazenagem tem custos bastantes expressivos na gestão interna da produção de uma organização. O maior erro acontece quando não é calculado seu custo, algo que deve ser feitos considerando as seguintes etapas:

  • Identificar itens de custo: selecionar os itens que serão considerados, como custo de empilhadeira, aluguel de armazém e outros.
  • Cálculo dos itens de custo: salários, benefícios, manutenção do armazém, depreciação e custo de oportunidade devem ser incluídos no cálculo a partir do levantamento feito previamente. 
  • Agrupar os itens de custo relativos a cada função ou atividade:agrupar os custos conforme sua destinação para facilitar a próxima etapa.
  • Alocar custos a cada produto ou cliente: depois de agrupados segundo suas funções, é necessário alocar os custos aos produtos.

Ter todos esses dados em mãos pode não ser fácil e se torna uma grande falha o erro de cálculo em uma das etapas, o que compromete todo o resultado, que tem como objetivo entender qual é o custo efetivo de se ter um armazém em uso.

Com a armazenagem da BPLog você tem a grande vantagem de compreender o processo como um custo único e facilitar a sua gestão de orçamento. Esse serviço abrange o recebimento e a conferência de cargas, picking, packing, etiquetagem, montagem de kits e industrialização. A redução de custos com a terceirização fica em torno de 10% a 20%.

Para uma empresa de qualquer porte a terceirização da armazenagem se torna uma vantagem, nós ficamos responsáveis  por todas as atividades e o tempo obtido pode ser investido pela empresas na melhoria de diversos aspectos da empresa, o chamado core business, como conhecimento do mercado, da concorrência, do cliente, melhorias nos produtos e inovação e adequação segundo a demanda. 

Leve a melhor solução de armazenagem para a sua empresa, conte com a BPLog!

Leia nossos outros artigos no blog e conheça mais sobre as atividades logísticas!

Categorias
Logística News

BPLog é notícia na Mundo Logística.

A BPLog está há 17 anos no mercado oferecendo as melhores soluções na área de Logística e Supply Chain. Com esses muitos anos de trabalho, a empresa se tornou a referência em entregar projetos de excelência em todos os serviços que prestamos.

Em 2004, a BPLog inaugurou o escritório no centro de Curitiba (PR) com os serviços de treinamento e consultoria. Em razão do bom desenvolvimento, dois anos depois, em 2006, foram iniciados os serviços de Intralogística (terceirização in-house) dentro das operações dos clientes. No ano de 2009, a companhia adquiriu o primeiro armazém de carga seca e iniciou as atividades na Cidade Industrial de Curitiba (CIC).

Anos mais tarde, em 2013, a BPLog no segundo armazém e agregou os serviços de montagem de kits e industrialização. Já em 2015, eles ampliaram a capacidade de armazenamento e se instalaram em um Condomínio Modular de Armazenamento, além de prosseguir com as atividades no CIC.

Em 2016, a BPLog foi certificada pelo MAPA (Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento), recebendo a licença para armazenagem de fertilizantes, inoculantes e corretivos. Em 2019, a companhia recebeu da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) a licença para armazenagem de cosméticos, saneantes e produtos para a saúde.

Já em 2021, a BPLog conquistou um feito ainda mais importante: a companhia recebeu a autorização da Polícia Civil para armazenar produtos controlados. No mesmo ano, a empresa completou 17 anos de atividades como uma companhia consolidada em operações logísticas. Para 2022, a BPLog planeja inovar e oferecer treinamento online para área de Logística e Supply Chain, mais uma solução pensada para se adequar a demanda de cada cliente e melhorar a qualificação dos profissionais da área.

CRESCIMENTO EM INTRALOGÍSTICA

Atualmente, a Intralogística vem sendo a área em que a BPLog mais cresce. As empresas buscam constantemente aperfeiçoar processos e optam pela terceirização dentro ou fora das próprias instalações. Foi neste ponto que a BPLog identificou uma grande oportunidade de fortalecimento.

Contratar uma gestão de operações logísticas é um grande passo para impulsionar os negócios e, principalmente, obter mais tempo para desenvolvê-lo. Aumentar o foco no seu core business é o caminho para o avanço – seja um produto ou um serviço, existe sempre possibilidade de melhorar, captar mais clientes e conhecer o seu mercado.

Com a BPLog, a Intralogística se responsabiliza por uma ampla gama de atividades, desde a disponibilidade de materiais para a produção até o controle e expedição de produtos acabados. Toda a execução é baseada na gestão otimizada da cadeia de suprimentos, seguindo um planejamento, o qual é desenvolvido junto ao cliente para a compreensão de todas as suas especificidades.

Atualmente, as soluções BPLog são pensadas para todas as etapas de produção em perfeito funcionamento. Otimização e mais tempo para ser investido no que realmente importa: o core business.

SERVIÇOS OFERECIDOS PELA BPLOG

  • Recebimento e armazenagem de materiais;
  • Separação de pedidos e abastecimento da linha de produção;
  • Movimentação manual e mecânica de matéria-prima, material em processo e produtos acabados;
  • Embalagem e expedição de produtos (packing);
  • Montagem de kits;
  • Gestão de Almoxarifado;
  • Realização de Inventários;
  • Fornecimento e manutenção de equipamentos de movimentação.

OS DIFERENCIAIS DA BPLOG

  • Gestão baseada em indicadores e controles;
  • Foco na melhoria contínua dos processos e pessoas;
  • Apoio da equipe de projetos nas operações;
  • Experiência de 14 anos no mercado de terceirização in-house na logística interna;
  • Foco no core business.

Matéria: https://revistamundologistica.com.br/noticias/bplog-17-anos-de-trabalho-construindo-um-sonho?fbclid=IwAR3YQVnyJ2g_yiqk0EaaFYyi2vi9g4pbBBR84fBo5giMrP2Sn_pfstX5Hz0

Categorias
Logística

NOVA CERTIFICAÇÃO ANVISA

CERTIFICAÇÃO DA ANVISA PARA ARMAZENAGEM DE PRODUTOS PARA
SAÚDE (CORRELATOS), COSMÉTICOS E SANEANTES.

Seguindo sua estratégia de crescimento e diversificação no mercado, a BPLog
conta com armazém licenciado pela ANVISA (Agência Nacional da Vigilância
Sanitária), para armazenar produtos para saúde (correlatos), cosméticos e
saneantes.

A região sul do país possui grande tradição na produção e comercialização de
cosméticos; que é um mercado que cresce ano a ano com a preocupação das
pessoas em investir em seu bem-estar.

Há também muitas start ups e pequenas empresas, que não possuem
infraestrutura adequada para armazenar, separar e expedir seus produtos e
necessitam de parceiros certificados para tal serviço.

Com esta certificação, a BPLog poderá atender uma série de empresas deste
segmento que não possuíam muitas opções para armazenar seus produtos.

Além da armazenagem, a BPLog conta com equipe especializada em serviços
acessórios como separação (picking),embalagem (packing) e montagem de kits.
Para maiores esclarecimentos, consulte a equipe comercial da BPLog.

Marcus Vinicius Calvo Pardo | Diretor Comercial

Categorias
Logística

COMO APROVEITAR O MOMENTO PARA OTIMIZAR A LOGÍSTICA DE SUA EMPRESA?

Muitas empresas ainda não se recuperaram da crise e falta de crescimento do país, e algumas ainda aumentaram suas perdas devido à recente greve dos caminhoneiros, que paralisou muitas atividades e devido sua indefinição sobre a tabela de frete mínimo, em discussão, poderá ainda afetar muitas empresas, em especial as empresas agrícolas, acostumadas a fretes mais baixos que os atualmente tabelados.

O momento pode ser crítico para muitas organizações, é preciso pensar em alternativas.

Uma das alternativas é que as empresas criem estoques ao longo da cadeia de distribuição (CD ou CDA), para que fiquem mais próximas a seu cliente final. Se antes podiam contar com um transporte eficiente e rápido, a crise no setor, já não garante que o produto será entregue em longas distâncias. Há muitas empresas de armazenagem de pequeno e médio portes, especializadas em guarda do material, além de serviços como separação, montagem de kits e embalagens especiais para cada caso. Estar próximo do cliente final pode ser um diferencial no aumento de vendas, em especial para as empresas que trabalham com vendedores ou representantes locais. O aumento de custo logísticos (armazenagem, transporte e no caso de manutenção de estoque) pode ser compensado com aumento das vendas e frete menor na ponta (no consumo). Há ainda também a opção de filial fiscal em um armazém geral, aonde os ganhos tributários podem ser interessantes na estratégia comercial/operacional.

Outra alternativa é a terceirização de atividades meio, ou seja, que não são a prioridade da empresa. O exemplo que sempre lembramos é de empresas de fornecimento de alimentação. Se nos anos 80 e 90 as empresas contratam tudo internamente (cozinheiras, comida, pratos, infraestrutura, etc) hoje contratam um fornecedor especializado, de acordo com seu orçamento e necessidade. Isto também ocorre na logística, serviços como Recebimento, Separação, abastecimento de linha (“linefeed”) de produção, Expedição, Inventários, entre outros, são cada vez mais terceirizados.

Por fim, lembramos que muitas vezes a empresa não tem tempo ou profissionais qualificados e com experiência em mudança de processos, e neste caso pode ser interessante contratar uma consultoria. Uma consultoria em logística, pode trazer mudanças interessantes, nos aspectos quantitativos (por exemplo: redução de custos logísticos) ou mesmo qualitativos (melhorias nos processos, redução de tempos na operação, etc).

Não deixe a crise se instalar em sua empresa, para revisão de processos logísticos, consulte a BPLog. Ela irá sugerir as mudanças necessárias, para que a sua Logística seja um diferencial competitivo para você e sua equipe. E sua empresa cresça. Bons negócios!

 

Autor: Marcus Vinicius Calvo Pardo | Diretor Comercial

Categorias
Logística

Perspectivas econômicas para operações logísticas

Por Marcus Vinicius Calvo Pardo – Diretor BPLog

Que estamos passando por momentos turbulentos na economia e na política, todo mudo já sabe. Que vemos diariamente empresas (de micro a grandes) passando por dificuldades financeiras e buscando a sobrevivência, tudo mundo já sabe. Que nenhum mal perdura para sempre, e que uma hora devemos ter uma retomada na economia e volta dos empregos, isso todo mundo também já sabe!  O que ninguém sabe exatamente é: quando?

É uma resposta extremamente complexa e de difícil resposta. Temos informações demais e economistas com muitos palpites (muitas vezes divergentes). Bem, não sou economista, mas tendo a acreditar que teremos uma recuperação lenta. Um índice que eu considero importante é o Índice de Confiança do Consumidor, afinal, se a confiança está baixa, o consumo é baixo, e as consequências são para todos (serviços e indústria em especial).  Segundo o IBGE, o índice ainda está distante da neutralidade (100pontos) mas o quadro atual é considerado um “pessimismo moderado”, na faixa de 80 a 90 pontos.

Fonte: FGV /IBRE

A questão política tem um peso muito alto, pois todos os dias os jornais estão reportando e nos atualizando sobre ações da Lava Jato em busca de corrigir esta situação de corrupção nos altos escalões do governo, operações da polícia federal, enquanto a população sofre (com desemprego, sem renda, sem serviços). E como consequência do baixo consumo, baixa produção industrial e assim a roda da economia gira mal.

Em recente artigo na revista exame, J.R.Guzzo escreve sabiamente: “ O país sobrevive pelo empenho individual e coletivo das pessoas que saem todos os dias para trabalhar e manter a vida em sociedade. De resto, tudo está sendo feito para as coisas funcionarem mal. Pela maneira que está montada a máquina pública brasileira, e pelo esforço extraordinário que grupos organizados fazem para impedir qualquer reforma séria em sua estrutura, o Brasil perdeu a capacidade de operar”. Realmente, assim fica difícil para o país produzir e ser competitivo.

E a logística, como fica?  As operações logísticas nacionais dependem muito da economia interna, desde a produção das matérias primas e embalagens, fabricação ou montagem dos produtos acabados, até a entrega final aos clientes. Sem crescimento na produção e consumo, as empresas sangram e tentam sobreviver.  Há notícias de melhora, tanto nos índices econômicos quanto no índice de produção de embalagens, este último sempre antecipa a realidade das fábricas. Segundo a Associação Brasileira de Embalagem (Abre), sob chancela do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (Ibre/FGV/IBRE), para o ano de 2017, a associação tem projeção de melhora a partir do segundo semestre, com crescimento tímido de 0,6% até dezembro. “O ano de 2016 foi de grandes oscilações, devido à crise política e econômica que afetou não só a confiança dos empresários, como também a dos consumidores, mas ao que tudo indica o pior já passou. A indústria de embalagens, por atender em maior volume o setor de bens de consumo não duráveis, prevê a sua retomada antes de outros setores como o de bens duráveis ou automóveis”. Portanto, os empresários de maneira geral estão em compasso de espera para novos investimentos, aguardando uma retomada na economia.

Esperamos todos que tenhamos no nosso país mais justiça, que no governo os três poderes possam trabalhar com autonomia e eficiência e destravar a pauta das questões relevantes para o país, que as reformas que precisamos gerem mais negócios e bem estar de todos.  Nós da BPLog Logística acreditamos que, com trabalho diário e honesto, podemos ajudar a fazer feliz a sociedade e humanidade, acreditamos que este é o desejo de todos os brasileiros de bem.