Categorias
Logística

Transporte Hidroviário no Brasil

Já falamos aqui no blog sobre sistema intermodal de transportes e como ele ajuda nos cuidados com o ambiente e também na economia de custos. Hoje vamos falar sobre um dos modais que mais ajuda nesses dois quesitos super importantes: o transporte hidroviário. Saiba um pouco mais sobre o que é e como ele funciona.

 

Modal

O transporte hidroviário é um dos modais mais econômicos de todas as estratégias logísticas, além de ter um baixo custo de funcionamento sua manutenção também é consideravelmente barata. Passando por hidrovias, caminhos aquáticos navegáveis, esse modal utiliza de navios, barcos ou balsas para o deslocamento de pessoas e também mercadorias. Uma de suas maiores vantagens é a possibilidade do transporte de grandes cargas pesadas por longas distâncias, com um baixo custo e menor impacto ambiental.

 

Funcionamento

Para que esse modal seja viável, são necessárias algumas boas condições de ambiente, como hidrovias planas e uma boa profundidade marítima. Além, é claro, de boas disposições climáticas, tais como ventos e correntezas.

 

No Brasil

No Brasil o transporte hidroviário é dividido em duas categorias, o fluvial e o marítimo. O marítimo é o mais importante, sendo responsável por 75% do comercio internacional. Já o fluvial, mesmo sendo o modal mais limpo e econômico, continua tendo uma menor aplicação no país.

 

E você, já conhecia esse modal? Continue acompanhando nosso blog para ficar por dentro das curiosidades do mundo da logística.

Categorias
Logística Serviços logísticos

Sistema intermodal: o que é?

Já falamos aqui no blog sobre as dificuldades do modal rodoviário no Brasil, e hoje o assunto é a intermodalidade, uma alternativa inteligente para essa situação. O método funciona da seguinte maneira: todos os modais são uma possível alternativa e é escolhida a melhor categoria para cada pedaço do trajeto.

Um exemplo prático e bem conhecido da intermodalidade são as cargas intercontinentais, que costumam vir em navios e são redirecionados via caminhão até seu destino final. Ligando vários modais para um mesmo transporte, esse método veio trazer inúmeras vantagens, conheça algumas delas:

 

Economia

Tanto de tempo quanto de dinheiro, a economia com o sistema intermodal é maior que os demais sistemas. Considerando que esse método escolhe o modal utilizado com base nas condições do trajeto e também no custo benefício, o resultado costuma ser bem mais vantajoso financeiramente.

 

Ambiente

Assim como investimento financeiro, os danos ao meio ambiente também são levados em consideração na hora da escolha de um melhor modal. Com tantas opções e trajetos, é sempre interessante o maior controle de poluição possível.

 

Já conhecia esse sistema? Utiliza na sua empresa? Continue acompanhando nosso blog para mais curiosidades e novidades do mundo da logística.

Categorias
Logística

FleetBoard: o que é?

Uma boa gestão de frotas é essencial para um melhor desenvolvimento da logística empresarial. Utilizando a tecnologia a seu favor, a Mercedes-Benz lançou o sistema FleetBoard. Já presente em mais de 20 países, o método chega esse ano ao Brasil.

 

Como funciona

O motorista deve inserir seu destino e características do veículo no sistema, que gera relatórios diários por meio de mensagens de status. Essas mensagens indicam informações como início do trabalho, chegada ao ponto de carregamento, tempo de espera, numero de nota fiscal entre outros detalhes relevantes.

Vantagens

O sistema foi desenvolvido para quem procura maior eficiência e redução de custos de consumo e manutenção. A Mercedes-Benz ainda afirma que empresas que já aderiram o sistema registraram também uma redução no cansaço de motoristas, diminuindo assim o gasto com motivação de equipe. É considerado um método inovador de gestão de frotas via internet, moderno, seguro e extremamente confiável.

 

Gostaram da novidade? Fiquem de olho no nosso blog para essas e outras curiosidades de logística.

Categorias
Logística

Preço da gasolina no Brasil

Começo de ano é sempre uma época de reajustes, especialmente financeiros. Um exemplo disso são os impostos, e esse ano não foi diferente um dos principais itens afetados foram os combustíveis  subindo 0,49%.

O aumento dos impostos veio com tudo e a gasolina ficou mais cara em todo o país, assim como o álcool e o diesel que também sofreram aumento. O reajuste já foi repassado para o combustível, e o preço varia entre postos e de uma cidade para outra.

Como se já não bastassem todos os fatores que dificultam o transporte de carga no Brasil, como a péssima infraestrutura,  o frete foi obrigado a entrar no reajuste para que a despesa com o transporte de cargas seja repassada para o consumidor final.

O aumento de impostos sobre os combustíveis faz parte do pacote do governo para tentar reequilibrar as contas públicas. A medida procurar reverter a fraca arrecadação do ano passado.

Categorias
Logística

A importância da logística na visita do Papa Francisco ao Brasil

O Papa Francisco está no Brasil até o dia 28 de julho e vamos aproveitar a deixa da presença do pontífice para lembrar o quanto é importante a organização logística de uma visita como essa, com características de chefia de estado. A organização vai desde a preparação para a descida do avião, saída do aeroporto, definição de trajeto, pontos para troca de segurança, hospedagem, alimentação e traslado até as cerimônias que marcam a agenda da semana.

Eventos de grande porte como esse, e até, por que não, de pequeno porte, movimentam inúmeros setores da sociedade, incluindo aí a cobertura midiática jornalística e os funcionários da copa, responsáveis por não deixar faltar nem o cafezinho, nem o chimarrão. Imaginem que esses setores também precisam ter a sua micro-organização logística, que deve estar antecipadamente sincronizada com a logística macro, em uma verdadeira tática de guerra, na qual não pode sequer faltar uma bateria ou pilha para ligar, por exemplo, o flash de uma câmera fotográfica. Afinal, o trabalho de meses pode se perder por completo se a foto para a capa do jornal não sair.

Não estamos aqui para fazer críticas a qualquer ocorrido que tenha dado certo ou errado na logística da visita do Papa, como dissemos no início do post, a ideia de escrever sobre a estadia dele no Brasil surgiu para tentar aproximar esta semana marcante para a Igreja Católica com a realidade empresarial no dia a dia. Queremos que as companhias e empresas pensem na sua organização, se preocupando em saber como está funcionando sua produção, seu atendimento, sua logística, sua equipe e assim por diante. Ela vai bem? Ao responder a pergunta, lembre-se de que sem uma boa logística podemos até arriscar dizer que o empresário não é ninguém.

Até a próxima.

Categorias
Intralogística Logística

Montagem de kits para a Copa do Mundo 2014

Sempre que há grandes eventos no país as empresas aproveitam a deixa para promover a sua marca, seus produtos ou simplesmente agradar um pouco mais a seus clientes. Agora em 2013, com a Copa das Confederações, e em 2014, com a chegada da Copa do Mundo, o ambiente no Brasil estará bastante propício para a montagem e distribuição de kits com o tema futebol.

Nesse contexto, é interessante se planejar junto a empresas de logística para não correr riscos de perder o “time” e acabar perdendo o material. Fazendo uma projeção, é muito provável que no país inteiro haja bastante procura por esse tipo de ação e quem sair na frente leva vantagem, principalmente as empresas instaladas nas doze cidades-sede da Copa, distribuídas por cinco regiões brasileiras e que terão investimento inicial calculado em mais de R$25 bilhões, distribuídos para melhorias de infraestrutura de aeroportos, estádios e novos sistemas de transportes.

A expectativa da BPLog é que, mesmo com os intempéries corriqueiros da organização de eventos dessa magnitude, o Brasil consiga fazer uma das melhores Copas do Mundo da história, já que somos os país do futebol e os maiores campeões do mundo de todos os tempos. E isso com certeza vai se refletir no mundo dos negócios. A BPLog esta preparada para atender seus clientes em Logística de Marketing Promocional, disponibilizando espaço para armazenagem de produtos e pessoal qualificado para a montagem de kits.

Categorias
Intralogística Logística Serviços logísticos

Como pensar em Brasil sem pensar em capacitação profissional da logística?

O setor de logística no Brasil movimenta cerda de R$360 bilhões por ano. Os números são da Associação Brasileira de Logística (ABRALOG), responsável por organizar, planejar, transportar e distribuir bens de serviços no país. Mas esse valor e toda essa movimentação requerem a elaboração de estratégias inteligentes para não perder investimentos e, mais do que isso, estimular o crescimento. Saindo um pouco do terreno de análise macroeconômica e fazendo um corte para as empresas em si, as responsáveis por todo o bolo de atividades que envolvem o setor de logística, incluindo todo os ramos, entre eles o da logística interna, 71% das companhias no Brasil sofrem para atingir um nível satisfatório de mão de obra, segundo estudo anual feito pela Manpower Group (empresa de soluções em gestão e contratação de pessoas).

O que também assusta é o crescimento do índice, que em 2010 foi de 64% e, em 2011, de 57%. Fora que 34% dos contratantes do cenário mundial têm encontrado dificuldade para preencher vagas. Não é diferente no Brasil, ainda vivemos uma realidade de crescimento de até 5% ao ano do ramo da logística, mas não significa que as empresas não precisem estar atentas à necessidade de se organizarem nesse sentido. Atentas, muitas delas já terceirizam a sua logística interna, logística reversa, de distribuição e transportes. A terceirização não deve ser encarada como algo pejorativo, e sim, como uma política inteligente de profissionalização do setor. Se pensarmos que uma empresa especializada em logística vai oferecer serviços de ponta, a preocupação com a qualidade da mão de obra deixa de ser um fantasma, pois é certo que os profissionais contratados serão qualificados.

Funcionando a pleno vapor e com a certeza de que o trabalho está sendo bem feito, o foco dos empresários passaria a ser a cobrança por investimentos do governo na rede viária, ferroviária, aérea e portuária do país, com o intuito de garantir a qualidade dos negócios internos e externos. Além disso, com menos um motivo para se preocupar, haveria possibilidade de progressão na área de armazenamento e estocagem de grãos e mercadorias, o que diminuiria a perda de produtos e negócios por falta de conservação.

Essa seria a verdadeira capacitação profissional da logística. Nem deveríamos pensar se as pessoas estão sendo bem treinadas ou não para se tornarem bons trabalhadores, isso já deveria ser de praxe. Se ainda não o é, com a ideia de se trabalhar com a mentalidade do investimento e não dos “custos” o quadro pode mudar no Brasil, que com isso só tem a ganhar. Sem dúvida, neste momento, estaríamos discutindo outros índices que não os de atingir ou não um nível satisfatório de mão de obra. Quando for assim, o setor de logística do Brasil será um dos melhores do mundo.

Categorias
Logística Serviços logísticos

Logística: Governo resolve mudar as regras para a concessão de estradas

Na terça, dia 5 de fevereiro de 2013, o ministro da economia, Guido Mantega, anunciou mudanças nas regras de concessão de estradas. “Todas as medidas foram tomadas pensando na necessidade de melhorias e investimento na logística brasileira”, disse o ministro, em São Paulo, durante o Fórum Estrutura Energia no Brasil. A ideia é aumentar a rentabilidade das concessões, mantendo o interesse sobre elas, para, com isso, gerar crescimento natural. Ainda não sabemos se essa tentativa de alavancar o setor de infraestrutura rodoviária do país dará certo, mas já se fala em ampliação e oferecimento de vantagens semelhantes para o investidor também na área ferroviária.

Entre as principais mudanças estão:

  • Prazo de financiamento total ampliado para até 25 anos.
  • Prazo de concessão ampliado para 30 anos.
  • Prazo de carência para início de pagamentos agora de 5 anos.
  • Taxa de juros TJLP + até 1,5%, dependendo do rating do tomador.
  • Projeção de expansão de tráfego nas rodovias reduzida para 4% ao ano.
  • Possibilidade de financiar até 80% dos projetos com agentes financeiros e até 20% por meio de fundos.
  • Junto com o BNDES, o Banco do Brasil e a Caixa Econômica Federal também poderão fazer empréstimos, individuais ou por consórcio.
  • Todas as vantagens anunciadas também serão oferecidas para empresários internacionais.

Apostas
Ainda é cedo para fazer apostas. Os possíveis resultados só vão aparecer quando os empresários assimilarem as mudanças e entenderem que as novas regras são mesmo um bom negócio. Não sabemos se a novidade do governo incentivará melhorias na área de logística até que licitações e obras aconteçam. Por enquanto, o que se tem é que o leilão de concessão de trechos das estradas BR-040 e BR-116, marcado para janeiro, foi adiado a pedido de pessoas interessadas e três empresas desistiram de participar do mesmo leilão por acharem que as projeções econômicas futuras estavam altas demais.

Há mais detalhes sobre a publicação na matéria do G1.

Categorias
Logística

Profissionais de logística precisam pensar em estratégias, táticas e operações

Quase sem percebermos as nuances da logística seguem evoluindo dia a dia. Antes designada para suprir setores carentes da indústria, hoje é tida como parte fundamental das estratégias de crescimento e customização de atividades dentro das fábricas, comércio e departamentos. Não há como pensar em operações sem mencionar a logística ou os seus desdobramentos como a logística interna (ou intralogística) e todos os profissionais envolvidos no trabalho da área.

Neste cenário, leva-se muito em conta a qualificação dos profissionais. Será que o Brasil prepara a sua mão de obra a contento? É bom saber que em ramos como o da logística são utilizados conceitos aprendidos em todas as fases de ensino, desde o fundamental até o médio. Isso mesmo, disciplinas que por algum motivo o estudante acha que nunca vai aplicar na vida profissional são constantemente exigidas. E é fácil explicar. É durante o primeiro aprendizado que ocorrem os estímulos na criança como a percepção, velocidade de raciocínio e coordenação motora e absorção da cultura, história, matemática e língua.

A resposta sobre a preparação da mão de obra brasileira se encontra nesses fundamentos citados. Se a educação estiver deficitária, o país terá problemas para acompanhar a rotina de novos conhecimentos e conceitos que se aplicam a cada dia. Incluindo a intensa transformação tecnológica. Um bom profissional da logística, atuante em qualquer área, tem por obrigação superar qualquer deficiência, caso sinta falta de bases sólidas em sua formação. Tal prática faz parte da evolução profissional tanto quanto o aprendizado prático e experiências adquiridas ao longo dos anos. Leva-se em consideração, também, pensar no futuro.

Por outro lado, as famílias precisam dar a devida atenção à educação de seus filhos. É bem provável que, aos dez anos de idade, uma criança não tenha maturidade o suficiente para projetar dificuldades futuras, cabe aos pais orientarem o seu desenvolvimento, somando a ele uma boa sustentação emocional. Aí estaremos preparando o futuro, com profissionais inteligentes e preparados para enfrentar as crises, não só da logística, mas dos inúmeros outros setores da economia.

Categorias
Logística

O otimismo não pode faltar no ramo da logística e em nenhum outro

Interessante avaliar o quanto o otimismo é responsável pelo desenvolvimento do país. Enquanto o pessimismo é considerado uma trava para o crescimento, o seu oposto, quando caminha junto com a razão, é o que mantém não só a evolução dos negócios, mas de toda a nossa espécie. O é tratado com propriedade na Revista Veja (23/01/2013) e aborda os mais variados ramos onde esse tipo de sentimento faz a diferença.

Fazendo um recorte na matéria da revista, nos próximos anos, incluindo 2013 que está começando, é muito provável que o Brasil dê um salto em seu desenvolvimento. O pensamento é otimista, pois embora estejamos passando pelo momento demográfico mais favorável de nossa história, no qual a população em idade produtiva será maior do que o número de crianças e idosos, isso é uma projeção. Há quem tome decisões estratégicas levando tais informações em conta, há quem ignore os dados e se planeje pelo presente.

Qual é o seu perfil de empresário? No ramo da logística é praticamente impossível ignorar o futuro. Trabalhamos com o cruzamento de dados, projeções de prazo, entrega e recebimento, interferências climáticas, gerenciamento de estoques, entre outras atividades, e isso, para dar certo, requer otimismo, principalmente se é ele quem promove o desenvolvimento. “A média das mais amplas pesquisas já conduzidas sobre o tema revela que cerca de 80% das pessoas são otimistas. Essa é a parcela da humanidade capaz de enxergar o copo meio cheio ”, diz a Veja. E é enxergar o copo meio cheio que nos leva a, por exemplo, abrir uma empresa e confiar que o investimento dará certo.

Para 2013, acreditamos nas melhorias de infraestrutura que o Brasil tanto precisa, no crescimento econômico, na qualificação da mão de obra, nas novas tecnologias e investimentos em pesquisa e no trabalho constante. Se as surpresas são inevitáveis, devemos saber o que fazer com as boas e aprender com as ruins. Esse é o melhor caminho.