Categorias
Logística

Os desafios e a eficiência dos centros de distribuição

Os Centros de Distribuição, conhecidos como CDs, podem ser o anjo da guarda ou o caos dentro de uma organização. Quem é administrador de empresas ou trabalha no setor de logística sabe o quanto eles podem causar transtorno, se mal gerenciados. O incômodo ou o sucesso desse espaço, às vezes apelidado de “mal necessário”, é algo cada vez mais desafiador, pois requer a contratação e manutenção de bons profissionais, pressão por produtividade e condições para o seu aumento, incluindo posicionamento no mercado.

A grosso modo, os Centros de Distribuição surgiram para diminuir custos e, consequentemente, aumentar o faturamento ao possibilitar um melhor controle de preços por meio de estoques. As companhias armazenam os produtos, sejam eles quais forem, e teoricamente coordenam melhor o fornecimento e a demanda, produção e transporte, tempo de entrega e disponibilidade do produto. É a administração coerente desses dados que reduz os custos. O descontrole dessas atividades, na prática, podem levar ao prejuízo e ocasionar a pior das situações financeiras de uma empresa: trabalhar o mês atual para pagar o anterior.

Soluções que envolvem logística
A melhor forma de gerenciar os CDs é fazer com que eles gerem valor por si mesmos. Empresas interessadas nos avanços de gestão têm terceirizado a logística do setor ou buscado consultoria especializada na área. Para atender a esse desafio, empresas como a BPLog têm aumentado o foco na gestão logística para introduzir nas empresas contratantes a ideia de que o cliente é, na verdade, uma pessoa que toma decisões em nome da empresa e exige a qualidade dos serviços. O mesmo acontece com o consumidor final. Ele deixa de ser um número estatístico e se torna uma pessoa real e fiel a uma empresa que demonstra cuidado com os prazos, qualidade dos materiais, atendimento e preço justo.

Claro que não são somente os CDs os responsáveis pelo sucesso ou derrocada de uma companhia, mas eles têm forte influência e podem se tornar um pilar de sustentação da estratégia empresarial. É aí que a terceirização se encaixa como uma luva. A situação econômica atual do Brasil tem causado dificuldade na gestão de mão de obra. Quanto mais especializada ela for, mais ela se torna escassa pela própria história cultural do país, na qual a escolarização é algo caro, ou seja, dificilmente vai aparecer um meio termo para preencher o vácuo entre o nível baixo de estudo e o alto. A gestão terceirizada da mão de obra vem para solucionar o problema, pois a preocupação se volta para o serviço em si, sem discussão sobre a capacitação ou rotatividade de pessoal, de responsabilidade da terceirizada.

Se os Centros de Distribuição estão em caos dentro da empresa, é preciso rever a administração deles. Há que se pensar na concorrência e imaginar, ou mesmo levantar pesquisas a respeito, que os espaços para os não-profissionais estão diminuindo. Mesmo as empresas que tem uma boa gerência podem melhorar ainda mais a sua gestão e realmente transformar os CDs em anjos da guarda, tornando-os um “bem necessário” produtivo e acelerador do crescimento.

Categorias
Logística

A consultoria em logística exige conhecimento de todos os setores da empresa


A prestação de consultoria em logística exige conhecimento de todos os setores de uma empresa. Ao diagnosticar a necessidade desse serviço, o empresário espera que as suas atividades sejam compreendidas, analisadas e modificadas por profissionais preparados para oferecer soluções ao negócio, desde o controle de estoque, distribuição, equipamentos, mão de obra qualificada e utilização de softwares adequados. Por essa razão, os consultores precisam manter os conhecimentos constantemente atualizados. É isso que caracteriza a dedicação da consultoria em logística na busca pela excelência de seus serviços.

Consultorias logísticas devem estar preparadas para enfrentar as mais adversas situações, pois a implementação desse tipo de serviço exige quebra de barreiras dentro das empresas, como a mudança de hábitos, reorganização de pessoal, troca de operações, readequação de horários e, na maioria das vezes, disposição para treinar toda a equipe da empresa para a qual se presta o serviço, até mesmo com interferências nos cargos de chefia, que nem sempre estão preparados para assimilar e aceitar as mudanças como algo positivo e construtivo até a conquista dos resultados de curto, médio e longo prazo.

Vivemos um momento muito competitivo, no qual o conhecimento, pelo menos em teoria, está disponível e mais acessível a todos. O que muda é a forma de aplicá-lo, já que os mínimos detalhes fazem a diferença na gestão de custos, reinvestimentos, redescoberta de mercados e inovações logísticas. Não há crescimento, nem manutenção de uma atividade, sem considerar todas essas variáveis. A busca constante pelo preparo profissional vai muito além de uma mera expectativa, há tempos ela já se tornou uma exigência e sai na frente quem incorpora esse pensamento no dia a dia empresarial.

Ao cumprir tais exigências, as consultorias em logística potencializam o sucesso de seus clientes preparando-os para otimizar suas operações e gerar valor aos seus negócios.