Categorias
News

Treinamentos Abertos BPLOG

Pensando no crescimento do mercado de trabalho e suas novas tendências, a BPLog estará voltando as suas origens, oferecendo treinamento aberto com novos cursos de logística. A primeira turma está prevista para a segunda quinzena de novembro/2019.

Todos os cursos estão voltados para área de logística, oferecendo ainda mais técnicas, conhecimento e aprimoramento. Os cursos acompanham o crescimento do mercado e suas exigências. Poderão participar dos cursos, todos os profissionais que desejam adquirir novos conhecimentos e também empresas que queiram investir em seus profissionais.Os cursos serão aplicados na matriz da BPLog, que conta com uma infraestrutura de ponta, estacionamento no local, conforto e segurança aos participantes.

Nossos instrutores são todos especialistas da área de logística, facilitando o aprendizado não apenas na teoria, mas também aplicando exercícios da rotina de quem atua na área.
O conteúdo dos treinamentos foram elaborados com base na experiência adquirida pela BPLog ao longo dos anos com as consultorias, treinamento In Company, terceirização in house e armazenagem terceirizada. As particularidades de cada cliente são levadas em consideração e auxiliam a aprimorar os treinamentos, aproximando-os de um resultado plenamente satisfatório.

A modalidade do treinamento aberto terá os cursos de Logística e Supply Chain (8 horas), Organização de Almoxarifados (8 horas), Inventário Físico de Materiais e Tipos de Inventários (6 horas), Indicadores de Desempenho em Logística (4 horas), Gestão dos Custos Logísticos e Método do Custeio ABC (8 horas).

Para conhecer mais sobre nossos treinamentos abertos e cronograma de turma, entre em contato com nosso departamento comercial através do e-mail; comercial@bplog.com.br (41) 3014-9822 – WhatsApp (41) 99119-7404, nossa equipe comercial estará disponível para atender vocês.

Cristiano Auresvalt
Coordenador Comercial
https://www.bplog.com.br

Categorias
Logística

Consultoria logística: quais suas vantagens

Importante para qualquer empresa, a Logística tem recebido cada vez mais atenção e devido reconhecimento. Com o crescimento da empresa, vem também o aumento de responsabilidades e de um melhor planejamento e organização. É aí que entra a Consultoria Logística, com profissionais qualificados que ajudam sua companhia a analisar fatores e tomar decisões de forma mais segura e inteligente. Entenda um pouco melhor sobre como essa operação funciona.

 

Responsabilidades

Um Consultor de Logística é responsável por dar assistência a todos os setores logísticos, tais como gerenciamento das redes de distribuição, negociação de compras, armazenamento, movimentação de materiais e transportes. Suas análises, recomendações e intervenções são embasadas sempre em critérios qualitativos e principalmente quantitativos, como mensuração de custos, tempos, volumes, etc. O essencial para um bom funcionamento de uma consultoria em Logística é uma boa metodologia e boa gestão do projeto.

 

Vantagens

A consultoria logística realiza uma análise da situação atual da empresa, atividade denominada Diagnóstico Logístico ou Diagnóstico Operacional, mostrando em quais pontos é possível implementar melhorias de forma inteligente e ordenada. As vantagens dessa operação são inúmeras, o melhor e mais direto exemplo é a redução de custos logísticos e maior eficiência do setor, levando também ao crescimento na satisfação de clientes finais.

 

A BPLog oferece uma consultoria especializada, confira nossos serviços e escolha o melhor para sua empresa. Continue acompanhando nosso blog para ficar por dentro das novidades e curiosidades do mundo da logística.

Categorias
Logística Serviços logísticos

BPLog fecha parceria com Sindiarmazéns-PR

A convite do Sr. Presidente José Canisso, a BPLog passa a ser parceira do Sindicato dos Armazéns Gerais do Estado do Paraná e prestará serviços de Treinamentos em Logística e Supply Chain para seus associados e filiados.

A BPLog tem o prazer em fazer parte deste novo projeto e agradece a confiança depositada nesta parceria. Esperamos contribuir para o aumento do conhecimento dos colaboradores de cada empresa participante. Os treinamentos são uma forma de dar continuidade ao processo de renovação e melhoria da Logística.
Desejamos a todos muita sorte e sucesso!

SINDICATO DOS ARMAZÉNS GERAIS DO ESTADO DO PARANÁ

Endereço: Av. Iguaçu, nº 2947, 12º andar, sala 123/124 – Água Verde – CURITIBA – PR

CEP: 80240-031

Telefone(s): (41) 3029-8014

Fax: (41) 3343-3440

Email contato: contato@sindiarmazenspr.org.br

Presidente: JOSÉ CANISSO

Mais informações acesse: www.sindiarmazenspr.org.br

Categorias
Intralogística Logística

A logística interna tem alguns segredos para se entender

Algumas das funções da operação logística otimizada dentro de uma empresa já são sabidas, como a redução de custos operacionais, diminuição do tempo de produção, controle de estoques, melhora no gerenciamento de distribuição e aumento do lucro, mas ainda encontrarmos no mercado empresas que esgotam as suas energias em apenas um dos tantos setores já citados, imaginando que fazem o correto e, consequentemente, ignorando a possibilidade gerencial para um crescimento ainda maior.

É até aceitável imaginar que, de maneira natural, o empresário se concentre no produto pronto, uma vez que a entrada de divisas ocorre por conta dele, com as vendas, mas é básico na administração que o caminho até esse produto gera gastos, requer renovação de investimentos, capacitação de pessoal e reavaliação constante do sistema operacional cotidiano, aprimorando o que dá certo e remanejando o que atravanca o processo, desde a recolocação de pessoal até a criação de um novo design.

A intralogística trata exatamente dessas movimentações e mesmo que a empresa não dê esse nome aos bois, ela está presente sempre, por isso a importância da sua aplicação na produção, recebimento, estocagem e movimentação. Mas o segredo não está em sua função motora. Um bom sistema logístico não se fortalece com o apertar de botões, mas com a capacidade profissional de quem os aperta. Não é a toa que até empresas familiares, detentoras de uma histórica administração mais blindada, vêm contratando serviços terceirizados de logística interna.

Foi-se a época em que a indústria delegava a função logística para pessoas menos capacitadas, que eram apenas os “encarregados” por levar e trazer. Hoje, mais do que a exigência mercadológica pela contratação de bons profissionais ou empresas terceirizadas e de consultoria, requer-se otimização de estoques, ferramentas e softwares de ponta e máquinas para trânsito fluente de mercadorias para estoque ou deslocamento de matéria-prima até os centros de produção. É o mínimo.

O segredo, portanto, está no gerenciamento tanto das ferramentas quanto dos setores e de pessoal. Ao trabalhar essa ideia dentro da empresa, só aumenta a chance de se acertar o caminho até uma logística interna perfeita.

Categorias
Logística

Os desafios e a eficiência dos centros de distribuição

Os Centros de Distribuição, conhecidos como CDs, podem ser o anjo da guarda ou o caos dentro de uma organização. Quem é administrador de empresas ou trabalha no setor de logística sabe o quanto eles podem causar transtorno, se mal gerenciados. O incômodo ou o sucesso desse espaço, às vezes apelidado de “mal necessário”, é algo cada vez mais desafiador, pois requer a contratação e manutenção de bons profissionais, pressão por produtividade e condições para o seu aumento, incluindo posicionamento no mercado.

A grosso modo, os Centros de Distribuição surgiram para diminuir custos e, consequentemente, aumentar o faturamento ao possibilitar um melhor controle de preços por meio de estoques. As companhias armazenam os produtos, sejam eles quais forem, e teoricamente coordenam melhor o fornecimento e a demanda, produção e transporte, tempo de entrega e disponibilidade do produto. É a administração coerente desses dados que reduz os custos. O descontrole dessas atividades, na prática, podem levar ao prejuízo e ocasionar a pior das situações financeiras de uma empresa: trabalhar o mês atual para pagar o anterior.

Soluções que envolvem logística
A melhor forma de gerenciar os CDs é fazer com que eles gerem valor por si mesmos. Empresas interessadas nos avanços de gestão têm terceirizado a logística do setor ou buscado consultoria especializada na área. Para atender a esse desafio, empresas como a BPLog têm aumentado o foco na gestão logística para introduzir nas empresas contratantes a ideia de que o cliente é, na verdade, uma pessoa que toma decisões em nome da empresa e exige a qualidade dos serviços. O mesmo acontece com o consumidor final. Ele deixa de ser um número estatístico e se torna uma pessoa real e fiel a uma empresa que demonstra cuidado com os prazos, qualidade dos materiais, atendimento e preço justo.

Claro que não são somente os CDs os responsáveis pelo sucesso ou derrocada de uma companhia, mas eles têm forte influência e podem se tornar um pilar de sustentação da estratégia empresarial. É aí que a terceirização se encaixa como uma luva. A situação econômica atual do Brasil tem causado dificuldade na gestão de mão de obra. Quanto mais especializada ela for, mais ela se torna escassa pela própria história cultural do país, na qual a escolarização é algo caro, ou seja, dificilmente vai aparecer um meio termo para preencher o vácuo entre o nível baixo de estudo e o alto. A gestão terceirizada da mão de obra vem para solucionar o problema, pois a preocupação se volta para o serviço em si, sem discussão sobre a capacitação ou rotatividade de pessoal, de responsabilidade da terceirizada.

Se os Centros de Distribuição estão em caos dentro da empresa, é preciso rever a administração deles. Há que se pensar na concorrência e imaginar, ou mesmo levantar pesquisas a respeito, que os espaços para os não-profissionais estão diminuindo. Mesmo as empresas que tem uma boa gerência podem melhorar ainda mais a sua gestão e realmente transformar os CDs em anjos da guarda, tornando-os um “bem necessário” produtivo e acelerador do crescimento.

Categorias
Logística

A consultoria em logística exige conhecimento de todos os setores da empresa


A prestação de consultoria em logística exige conhecimento de todos os setores de uma empresa. Ao diagnosticar a necessidade desse serviço, o empresário espera que as suas atividades sejam compreendidas, analisadas e modificadas por profissionais preparados para oferecer soluções ao negócio, desde o controle de estoque, distribuição, equipamentos, mão de obra qualificada e utilização de softwares adequados. Por essa razão, os consultores precisam manter os conhecimentos constantemente atualizados. É isso que caracteriza a dedicação da consultoria em logística na busca pela excelência de seus serviços.

Consultorias logísticas devem estar preparadas para enfrentar as mais adversas situações, pois a implementação desse tipo de serviço exige quebra de barreiras dentro das empresas, como a mudança de hábitos, reorganização de pessoal, troca de operações, readequação de horários e, na maioria das vezes, disposição para treinar toda a equipe da empresa para a qual se presta o serviço, até mesmo com interferências nos cargos de chefia, que nem sempre estão preparados para assimilar e aceitar as mudanças como algo positivo e construtivo até a conquista dos resultados de curto, médio e longo prazo.

Vivemos um momento muito competitivo, no qual o conhecimento, pelo menos em teoria, está disponível e mais acessível a todos. O que muda é a forma de aplicá-lo, já que os mínimos detalhes fazem a diferença na gestão de custos, reinvestimentos, redescoberta de mercados e inovações logísticas. Não há crescimento, nem manutenção de uma atividade, sem considerar todas essas variáveis. A busca constante pelo preparo profissional vai muito além de uma mera expectativa, há tempos ela já se tornou uma exigência e sai na frente quem incorpora esse pensamento no dia a dia empresarial.

Ao cumprir tais exigências, as consultorias em logística potencializam o sucesso de seus clientes preparando-os para otimizar suas operações e gerar valor aos seus negócios.

Categorias
Logística

Consultoria em logística

Por Rodrigo Otávio da Cruz

A Logística e a Cadeia de Suprimentos a sua volta, tem recebido cada vez mais a atenção dos gestores e investidores das empresas, por se tratar de uma atividade altamente estratégica para os negócios e que interfere diretamente nos resultados da organização. É a partir da atividade logística que surgem alguns dos principais atributos de satisfação dos clientes, destacando-se o prazo de entrega e o preço da mercadoria. Por conta disso, a contratação de serviços de Consultoria em Logística tem se tornado uma prática cada vez mais frequente nas organizações, dos mais diversos segmentos.

Os principais objetivos das Empresas quando agregam um Projeto de Consultoria em Logística dentro das suas atividades são:

  • Redução de custos;
  • Agilidade e flexibilidade;
  • Aplicação das melhores práticas do mercado;
  • Busca da eficiência operacional;
  • Aumento das receitas.

Usualmente, espera-se que os serviços prestados por uma consultoria tragam um retorno de aproximadamente dez vezes o valor investido.

Para que um Projeto de Consultoria em Logística atenda às expectativas acordadas em sua contratação, algumas premissas e requisitos básicos devem ser cumpridos. A ideia de toda a empreitada deve ser “comprada” pela alta direção, do contrário, os demais níveis da hierarquia não corresponderão a contento às atividades, compromissos e agendas que o projeto demanda.

Todos os envolvidos das áreas que fazem parte do escopo atendido, ou pelo menos a maior parte desse grupo, precisam ter espírito de mudança, pois é mais do que certo que as recomendações sugeridas pela equipe de consultoria mexam diretamente na rotina dos funcionários. É da natureza humana ser inflexível e mudar a rotina, torna-se um dos maiores desafios de um projeto. A empresa deve ser orientada para o crescimento, a modernização e disposta a investir em tecnologia, uma vez que no mercado está cada vez mais disponível e viável adquirir soluções que automatizam os processos logísticos.

Completando esse ciclo das premissas de um Projeto Logístico, é fundamental que a empresa disponibilize recursos humanos para participar ativamente do Projeto, pois o sucesso é construído em conjunto e a continuidade das melhorias na organização, após a desmobilização da consultoria, fica por conta de quem nela permanecerá.

O Projeto de Consultoria em Logística é, basicamente, dividido em cinco etapas:

  • Diagnóstico;
  • Negociação do Escopo;
  • Implantação;
  • Controle;
  • Encerramento.

Diagnóstico
Na fase de diagnóstico busca-se coletar o máximo de informações possíveis da organização por meio de entrevistas com pessoas-chave de cada área, visitas aos locais de trabalho e relatórios de sistema. A finalidade é identificar o que está funcionando bem na Logística e o que precisa e pode ser otimizado. A utilização de ferramentas para execução desse diagnóstico atribui maior confiabilidade e assertividade no desenvolvimento das recomendações de melhorias, portanto, podem ser utilizados questionário, check list ou formulários previamente elaborados. O intuito é avaliar a área de logística de forma quantitativa, sendo possível atribuir pontuações de acordo com rankings de padrão mundial de eficiência operacional. Após a fase de coleta de dados, a equipe de consultores deve imergir em um trabalho interno de tabulação dos mesmos e elaboração das recomendações de melhorias sobre os problemas e oportunidades identificadas na Logística.

Busca-se utilizar o máximo de informações numéricas possível, a fim de mostrar para o cliente qual é a magnitude de seus problemas, quando serão dirimidos e qual o tamanho esforço para saná-los. A qualidade de apresentação do diagnóstico é fundamental para sensibilizar o cliente sobre o projeto de Logística, portanto, a aplicação de recursos como fotos, gráficos, quadros e exemplos de mercado contribuem para a “venda” do projeto. O diagnóstico encerra-se com uma proposta de cronograma de trabalho, onde são dimensionados os prazos e esforços de acordo com a prioridade dos projetos a serem implementados.

Negociação do Escopo
Uma etapa intermediária entre a entrega do diagnóstico e a aceitação da proposta para início da implantação é a negociação comercial, para definir o escopo contratado, os preços e os prazos de realização. É bastante usual que os gestores e patrocinadores solicitem tempo para absorver o conteúdo do diagnóstico e discutir internamente a viabilidade de investimento. Nessas discussões, geralmente chegam-se uma das três possíveis decisões:

  • Contratar integralmente todo conteúdo apresentado no diagnóstico — Dessa forma a empresa confia que 100% dos trabalhos serão implantados com a orientação da equipe de consultoria.
  • Aceitar parcialmente o escopo da proposta — A empresa deixa parte dos trabalhos a serem conduzidos com a consultoria e outra parte a serem conduzidas por uma equipe interna, sem apoio da consultoria, ou ainda, parte do escopo não ser aceito por não aderir às necessidades do momento da empresa.
  • Não aceitar — Por questões estratégicas de investimento e/ou por haver conhecimento interno suficiente para dirigir totalmente o projeto, sem apoio da consultoria.

Implantação
Após definidas todas as questões comerciais e a delimitação do escopo a ser executado, o primeiro passo da fase de implantação é reunir as pessoas envolvidas diretamente no projeto para um workshop, onde os consultores e colaboradores da empresa formam um “time de projetos” e elaboram juntos o plano de ação detalhado. Esse grupo, obviamente guiado por líderes e gestores, organizam as ações de acordo com as prioridades da empresa, definem prazos, recursos e metas de cada atividade.

A implantação é a fase mais longa do Projeto Logístico, pode variar de três a dezoito meses, conforme a abrangência do seu escopo. Não são recomendados prazos muito curtos para implantação. É bastante comum que essas atividades demandem reuniões para validação com a alta diretoria, ou então, reuniões externas com fornecedores e clientes. Um projeto rápido pode se tornar um risco devido à inflexibilidade de agenda dos envolvidos.

Por outro lado, também não é recomendado que os Projetos de Consultoria de prolonguem demasiadamente. Nessa condição, os trabalhos inicialmente propostos tendem a desviar-se do seu foco inicial, pois pode haver rotatividade de pessoas tanto pelo lado dos consultores como dos integrantes do time de projetos da empresa. Dessa forma, boa parte do conhecimento sai de dentro do projeto e gera retrabalhos ao substituir e reintegrar novos participantes. Num projeto muito longo, a “visão externa” que a consultoria traz para empresa pode deixar de ser o elemento surpresa, pelo fato dos consultores poderem ser absorvidos e coniventes com os problemas internos e, imperceptivelmente, perderem a agilidade e coerência na busca de soluções.

Outro fator que compromete os projetos de prazo alongado, é a mudança das necessidades e oportunidades identificadas lá na fase de diagnóstico, devido à questões internas da empresa, de redirecionamento do plano estratégico, incremento de novos produtos, fusões, incorporações, etc. O escopo original tanto pode ser mais aprofundado do que o previsto como pode ser complementado sem o devido planejamento, dessa forma aumentando o esforço dos envolvidos. Assim como, pode ocorrer o cancelamento de atividades que foram previamente mapeadas, pelo fato de serem “ideias obsoletas”.

O maior impasse é quando o projeto começa a fugir do prazo e esforço previamente negociados e o cálculo das horas de trabalho da consultoria começam a ser questionados. De um lado a empresa contratante dos serviços buscando as cláusulas contratuais onde são firmados os limites de horas dos consultores, de outro a Empresa de Consultoria alegando que houve mais esforço da equipe por conta de complementação ou mudança do escopo.

Controle
A chave para o sucesso de um Projeto de Consultoria em Logística está num bom planejamento prévio, com o máximo levantamento de dados e mapeamento de atividades. Não deve ser poupado tempo no planejamento. O uso da cautela nessa fase certamente evitará futuros erros que algumas vezes são irreversíveis em um projeto. E, em paralelo, com o mesmo nível de importância, o uso de um robusto sistema de controle das atividades asseguram o bom andamento do Projeto. O controle ocorre durante todo o projeto, desde a sua concepção, passando pelo diagnóstico, implantação e encerramento.

Ferramentas e técnicas para controlar a evolução do projeto se tornam essenciais devido ao constante cruzamento das variáveis que integram o projeto. Dilemas como: “Fulano X” que está alocado na atividade “A”, essa atividade “A” atrasou e coincidiu com a mesma data da atividade “B” que depende do mesmo “Fulano X”, precisam ser solucionados a todo o momento no gerenciamento do Projeto Logístico e somente um sistema eficiente de controle de recursos podem assegurar que questões como essa exemplificada, não passarão desapercebidas e não comprometerão o Projeto Logístico.

Durante o acompanhamento, é fundamental que sejam previstas reuniões fixas e pré-agendadas para apresentação dos trabalhos, reunindo todos os interessados e, principalmente, a alta direção. Nesses encontros, as sempre presentes “issues” de projetos são discutidas, prazos são revistos, escopos alinhados, bem como, o redimensionamento de recursos.

Encerramento
A última etapa de um Projeto de Consultoria em Logística é o encerramento. O time de consultoria deve elaborar um book que demonstre a situação anterior ao início do projeto e a situação após a implantação das melhorias. Algumas ações implantadas trarão retorno posteriormente ao encerramento do Projeto, pois para cobrir um investimento que eventualmente foi necessário para aplicar tal melhoria, são necessários alguns meses ou mesmo anos. Também, o retorno pode demorar a surgir simplesmente porque as mudanças nos processos, pessoas, parceiros e demais stakeholders, levam um certo tempo para surtir efeitos na Cadeia de Suprimentos.

Sempre que possível, as informações devem ser representadas numericamente e não apenas qualitativamente. “De quanto foi a redução de custo no processo tal? Quantas horas ou quantos dias foi possível reduzir do lead time de transporte?” Questões como essas devem aparecer na entrega final dos trabalhos, certificando ao cliente que o investimento na Consultoria Logística foi viável e que está proporcionando ou proporcionará o retorno desejado.