Categorias
Intralogística Logística

A logística interna tem alguns segredos para se entender

Algumas das funções da operação logística otimizada dentro de uma empresa já são sabidas, como a redução de custos operacionais, diminuição do tempo de produção, controle de estoques, melhora no gerenciamento de distribuição e aumento do lucro, mas ainda encontrarmos no mercado empresas que esgotam as suas energias em apenas um dos tantos setores já citados, imaginando que fazem o correto e, consequentemente, ignorando a possibilidade gerencial para um crescimento ainda maior.

É até aceitável imaginar que, de maneira natural, o empresário se concentre no produto pronto, uma vez que a entrada de divisas ocorre por conta dele, com as vendas, mas é básico na administração que o caminho até esse produto gera gastos, requer renovação de investimentos, capacitação de pessoal e reavaliação constante do sistema operacional cotidiano, aprimorando o que dá certo e remanejando o que atravanca o processo, desde a recolocação de pessoal até a criação de um novo design.

A intralogística trata exatamente dessas movimentações e mesmo que a empresa não dê esse nome aos bois, ela está presente sempre, por isso a importância da sua aplicação na produção, recebimento, estocagem e movimentação. Mas o segredo não está em sua função motora. Um bom sistema logístico não se fortalece com o apertar de botões, mas com a capacidade profissional de quem os aperta. Não é a toa que até empresas familiares, detentoras de uma histórica administração mais blindada, vêm contratando serviços terceirizados de logística interna.

Foi-se a época em que a indústria delegava a função logística para pessoas menos capacitadas, que eram apenas os “encarregados” por levar e trazer. Hoje, mais do que a exigência mercadológica pela contratação de bons profissionais ou empresas terceirizadas e de consultoria, requer-se otimização de estoques, ferramentas e softwares de ponta e máquinas para trânsito fluente de mercadorias para estoque ou deslocamento de matéria-prima até os centros de produção. É o mínimo.

O segredo, portanto, está no gerenciamento tanto das ferramentas quanto dos setores e de pessoal. Ao trabalhar essa ideia dentro da empresa, só aumenta a chance de se acertar o caminho até uma logística interna perfeita.