Categorias
Logística

Como está a situação do modal ferroviário brasileiro?

Responsável pelos principais escoamentos da produção agrícola brasileira nos anos 1870 a 1930 e com uma grande participação nas distribuições de café da época, o modal ferroviário já foi o mais importante do país e hoje ainda é bem ativo em território nacional. Entenda um pouco mais sobre esse meio de transporte e conheça também sua situação atual.

 

Vantagens de uso

O transporte ferroviário tem uma ótima capacidade de carga e é super adequado para grandes distâncias. Além disso, esse modal possui uma eficiência energética bem grande, e apesar do alto custo de implantação possui um valor bem menor tanto para o transporte quanto para sua manutenção. Quando comparado com outro modal térreo como o rodoviário por exemplo, é consideravelmente mais seguro já que tanto acidentes quanto furtos e roubos são bem menos frequentes.

 

No Brasil

A primeira ferrovia brasileira foi inaugurada em 1854 com apenas 14,5 km de extensão ligando o Porto de Mauá à localidade de Raiz da Serra, desde então o país já chegou a possuir até 34.207 km. Atualmente, devido a crises tanto governamentais quanto privadas, apenas 30.129 quilômetros da rede ferroviária brasileira se encontram ativos. Esse meio de transporte ainda é bastante utilizado, geralmente para cargas como minério de ferro, carvão e outras de baixo valor.

 

E ai, você já sabia dessas vantagens do modal ferroviário? A MDM Log possui várias soluções logísticas para ajudar a sua empresa, conheça nossos serviços e descubra qual o melhor para você. Continue acompanhando nosso blog para ficar por dentro de mais dicas e novidades.

Categorias
Logística

Descubra a nova forma de produção de energia através de trens

Não é novidade alguma que o transporte público é ótimo para a economia de gases e combustíveis, mas já pensou se além de consumir menos, ele ainda ajudasse a produzir energia? Pois é, na Pensilvânia, nos Estados Unidos, isso já vem acontecendo há algum tempo.

Estudantes de engenharia descobriram uma maneira de transformas o atrito gerado pelos freios do metrô em fonte de energia. O sistema promete, além de reduzir três mil toneladas de gás carbônico por ano, uma economia de mais de U$ 10 milhões nos custos de fornecimento de energia.

Atualmente esse método é utilizado para a região da Filadélfia, principal cidade no estado da Pensilvânia. Já estão sendo estudadas maneiras e possibilidades de que esse mesmo sistema, talvez potencializado, possa ser aplicado em outras cidades, ou pelo menos em grandes metrópoles.